fevereiro 09, 2006

Coisas Estranhas "The sequal"

- Championship Clerum
Que é como quem diz: Campeonato Futsal de Sacerdotes.

- Metro
Hoje vi no metro um senhor que numa das paragens aproveitou para tirar uma foto da plataforma. Eu penso: "será que o senhor é um terrorista a documentar o seu próximo alvo?!?" (eu tenho uma imaginação muito értil, eu sei...)

fevereiro 07, 2006

Saudades

Às vezes tenho saudades de filmes como o "Aeroplano", ou "Ases pelos Ares", dos filmes do Mel Brooks e dos Monty Python. Por isso, gosto quando vejo um filme que de tão idiota se torna bom.
"Kiss, kiss, bang, bang" é um bom exemplo. Começa pelo título, passa pelas personagens e acaba no enredo. Nada faz grande sentido.
O título é sugestivo e engraçado (eu acho). As personagens, algumas são clichés, outras são "normais", mas são todas disfuncionais.
O enredo é sempre cheio, quando achamos que vamos começar a ver a luz ao fundo do túnel, vêmos uma placa a dizer "Luz ao fundo do túnel - 300km". Mas as piadas são muito boas, num filme cheio de lugares comuns não há situações cliché.
Estão constantemente a alimentar-nos a imaginação e não temos muito tempo para absorver, mas é feita de uma maneira leve, que não nos cansa.
A realização é simples, sem grandes aparatos e no entanto tem pormenores muito bons de narrativa.

Um "thumbs up" para o Val Kilmer, que é sem dúvida um excelente actor (devias fazer mais filmes, amigo).
Um "seja benvindo" ao Robert Downey Junior (vê lá se desta vez ganhas juízo, que a malta até te 'curte').

fevereiro 03, 2006

Coisas Estranhas - nunca vêm só...

Hoje no trânsito, à entrada da Praça de Espanha, estava parada no meu carrinho, á espera que o sinal mudasse para verde, quando vejo que uma ambulância amarela queria passar (tinha as luzinhas acesas e fazia "tinóni"). Ela tinha espaço para passar até chegar ao meu lado e o senhor da faixa do lado, não conseguia desviar-se porque estava demasiado próximo do táxi que estava á frente. Até aqui tudo normal, os carros não andavam, deviam pensar que o "tinóni" da ambulância era uma campanha barulhenta da Red Bull, ou algo do género, o senhor do carro bem que se tentou desviar, mas acabou por ficar atravessado na faixa. Normal.
O bonito da coisa, foi um senhor com um colete do jornal "Metro" que continuava a distribuir os seus jornais aos carros, em frente á ambulância, sem qualquer problema. Ou não tinha amor à vida, ou também pensou que a ambulância devia ser uma antecipação do Carnaval.