outubro 24, 2005

Bonecas Russas

Era o filme que eu estava a precisar de ver. É tão bom quanto a "Residência Espanhola" e saímos, mais uma vez, da sala de cinema com vontade de viajar, conhecer o mundo e não pensar no amanhã.
A história é diferente, os lugares são diferentes e as personagens, ainda que as mesmas, estão diferentes.
É uma história de amor, mas um conto de fadas dos dias de hoje. Não é o melhor final, mas a beleza está nos diálogos e nas emoções.
No cinema tudo é fácil, mas se a vida fosse assim, seríamos felizes? Gostei do filme, é um filme a que posso chamar de meu.
Bonecas Russas, cativa. É como a Residência Espanhola, não sei explicar porquê, mas ambos os filmes, desde a primeira cena que entro naquele mundo e me perco.

outubro 22, 2005

Last Days

Sábado à tarde, chove em lisboa, nada melhor que ficar dentro de uma sala de cinema. Last days é desconfortável, mas é muito bom e a representação do Michael Pitt é excelente e gosto da subtileza da realização.

Amor

Hoje estive no aeroporto de Lisboa vi a melhor representação de amor que algma vez presenciei. Eram 6h30 da manhã e na rampa por onde saem as pessoas que chegam dos mais variados destinos, do lado de quem espera, aparece uma menina de mais ou menos 6 anos a correr em direcção à "porta" de saída. Lá de dentro saí um menino, também mais ou menos da mesma idade e os dois abraçam-se. Foi o abraço mais ternurento a que alguma vez assiti. Naquele bocadinho de espaço e tempo ele só existiram eles. Ainda bem que estava lá para assistir.

outubro 18, 2005

Alice

Ontem fui ver Alice, para quem não sabe é um filme português. Sem dúvida que o cinema português está a melhorar, não só na representação (que diga-se de passagem não era má, mas não estava ajustada ao meio), como também na realização, na música, na fotografia.
Não só o tema é difícil, como a interpretação está perfeita. O filme tem duas cenas muito boas (não que as outras não o sejam, mas estas marcaram-me): uma pela qualidade da realização, está muito bem conseguida, e a outra porque é a essência do filme e do mundo que não para. Por muito que a dor nos mate por dentro, chega sempre uma altura em que decidimos seguir em frente. Não desistimos, apenas percebemos que se continuarmos podemos perder muito mais.
Gostei muito, é mais um filme português que vou juntar à minha pequenina lista de filmes nacionais, que promete crescer.

outubro 13, 2005

O meu projecto







Para quem não pode ver a exposição do meu trabalho podem ver não só o processo de criação como o produto final.
A fotografia ficou um pouco tremida mas dá para terem uma ideia.
Não foi o melhor trabalho exposto, mas é meu, espero que gostem.

Almoço no Castelo de S. Jorge

Hoje apeteceu-me olhar a minha cidade, sentir a brisa fresca de Outono num lugar calmo e bonito. Decidi que ia almoçar no Castelo de S. Jorge, como sou da terra não págo bilhete, por isso posso ir lá mais vezes.
Na Praça da Figueira entrei num café e comprei um croissant com fiambre (queria levar um Compal de Laranja, mas só tinham modernices, como manga-laranja) corri para o autocarro, foi mesmo a tempo, porque ele já ia fechar as portas, e segui até ao castelo da minha infância.
Gosto daquele Castelo e gosto de ir até lá porque passo por casa da minha avó e lembro-me de quando ela me esperava à janela.
Entrei no Castelo, cheio de "cámones" (é assim que se escreve?!?!) procurei um lugar mais sossegado com vista para a cidade e sentei-me. Tirei metade do croissant e algumas migalhas cairam no chão, apareceu logo um pombo glutão e outro veio atrás a ver se conseguia alguma comida para ele.
Gostei da companhia e resolvi partilhar um pouco do meu almoço com eles. Há sempre aquela parte que é mais seca e custa sempre mais a comer, mas eles não se queixaram e comeram tudo.
Foi um almoço diferente, calmo e com uma companhia que não pedia nada em troca. Soube bem, acho que vou voltar a repetir.